(***)  TEXTO PRODUZIDO PELO FORNECEDOR DO SISTEMA SUCROENERGÉTICO
SEM A INGERÊNCIA DO JORNALISMO DA REVISTA OPINIÕES


BASF incrementa negócio de Agricultura de Mudas Sadias de Cana

Intitulado AgMusa, Agricultura de Mudas Sadias da BASF, sistema oferece unidade produtiva móvel para operar em parceria com o cliente reduzindo complexidade logística e incrementando autonomia agrícola na propriedade do produtor

Com o objetivo de realizar a originação de material genético de cana-de-açúcar, utilizando-se de gemas da planta de variedades definidas previamente, a BASF incrementa o modelo de negócio AgMusa e passa a agregar no sistema a utilização da biofábrica móvel.

Para manter a qualidade das mudas, a empresa possui acordos de originação e licenciamento com os principais institutos e empresas de melhoria varietal do País, entre os quais: Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), Instituto Agronômico de Campinas (IAC) e Rede Interuniversitária para o Desenvolvimento do Setor Sucroenergético (Ridesa).“Com isso, a empresa tem acesso a 99% do portfólio de variedades com a intenção de plantio”, afirma Cássio Teixeira, gerente de Marketing AgMusa.


Sobre o Sistema AgMusa:
Para incrementar a produtividade dos canaviais do País, a BASF lançou em 2013 o sistema de produção de mudas sadias e formação de viveiros com alta qualidade. Trata-se do Sistema AgMusa. Esta tecnologia garante ao produtor mudas com qualidade elevada que incrementam o potencial produtivo dos canaviais.


Além de contar com esse diferencial, o sistema permite a introdução de um novo cultivar de forma acelerada. No método convencional de multiplicação e formação de viveiros, o produtor multiplica uma nova variedade durante cerca de seis anos antes do uso comercial. Com este sistema, o processo pode ser acelerado para três anos. A aceleração de acesso às novas variedades e o plantio simplificado permitem ao produtor explorar o potencial produtivo e usufruir por mais tempo da inovação, maximizando sua rentabilidade. Os estudos para introdução do sistema ocorreram a partir de 2009 em diversas regiões produtoras, em parceria com clientes e pesquisadores e na Estação Experimental Agrícola da BASF, em Santo Antônio de Posse-SP.



A BASF desenvolveu um processo de alta tecnologia a partir de viveiros básicos formados com variedades obtidas diretamente do melhorista genético. As mudas da empresa passam por um tratamento exclusivo que confere alto vigor e garantia de sanidade, além de uma identidade genética homogênea para a formação de viveiros. Atualmente, o processo é conduzido na biofábrica da empresa na estação experimental.

Em maio último, a BASF também passou a recomendar a seus clientes e parceiros um novo método de manejo para o Sistema AgMusa, consorciado às culturas de soja ou amendoim pelo plantio em Meiosi ou “método inter-rotacional” - ocorrendo simultaneamente. Essa forma de plantio prevê a integração de duas culturas e tem como objetivo proporcionar rotação de área e benefícios agronômicos. A formação de um canavial a partir de mudas AgMusa elimina a possibilidade de levar pragas como Sphenophorus para a área em formação, além da garantia de sanidade em relação às doenças como raquitismo e escaldadura. “Além disso, a rotação de culturas reduz a pressão de pragas e contribui para a sustentabilidade do canavial”, acrescenta Teixeira.

A formação de viveiros e do canavial em Meiosi com o sistema AgMusa incrementa a rentabilidade do agricultor. O custo por hectare formado é reduzido à medida que o sistema proporciona um aumento de produtividade entre 20% e 40% do viveiro, dependendo da variedade utilizada. Já com o plantio em Meiosi, o produtor pode obter ganhos adicionais com o cultivo intercalar e benefícios técnicos relacionados ao uso do solo. Outra vantagem é a sinergia com os químicos utilizados para o plantio da cultura de ciclo rápido.

Atualmente, um viveiro de qualidade planejado para ser construído com alguns meses de antecedência e formado a partir de mudas sadias de variedades nobres, que sejam tratadas com defensivos de ponta, é capaz de prover em média 40% mais gemas viáveis para o plantio do canavial. Isso ocorre quando as mudas estão adaptadas ao solo e ao clima local. A cultura da cana no Brasil está passando por uma revolução silenciosa com a disponibilização de novas tecnologias específicas para o cultivo, capaz de interromper o ciclo de baixa produtividade. “É preciso alterar este ciclo, uma vez que estamos falando de uma fonte de energia limpa e renovável da qual o Brasil é um protagonista relevante no cenário global” finaliza o gerente.

-------------------
Sobre a BASF:
Na BASF nós transformamos a química – e estamos fazendo isso há 150 anos. Nosso portifólio de produtos oferece desde químicos, plásticos, produtos de performance e para proteção de cultivos, até petróleo e gás. Como empresa química líder mundial, nós combinamos o sucesso econômico, responsabilidade social e proteção ambiental. Por meio da ciência e da inovação, nós possibilitamos aos nossos clientes de todas as indústrias atender às atuais e futuras necessidades da sociedade. Nossos produtos e soluções contribuem para a preservação dos recursos, assegurando nutrição saudável e melhoria da qualidade de vida. Nós resumimos essa contribuição em nossa proposição corporativa: “We create chemistry for a sustainable future” – Nós transformamos a química para um futuro sustentável. A BASF contabilizou vendas de €74 bilhões em 2013 e contava com mais de 112 mil colaboradores no final do ano. As ações da BASF são negociadas nas bolsas de valores de Frankfurt (BAS), Londres (BFA) e Zurique (AN). Mais informações sobre a BASF estão disponíveis no endereço www.basf.com.br ou nos perfis corporativos da empresa no Facebook (BASF Brasil) e no Twitter (@BASF_brasil).

- As vendas na América do Sul totalizaram, aproximadamente, € 4.2 bilhões em 2013 (Esse resultado abrange os negócios realizados pelas empresas do Grupo na região, incluindo a Wintershall - empresa situada na Argentina, voltada a produção de petróleo e gás).
- Na América do Sul, a BASF contava com mais de 6 mil colaboradores em 31 de dezembro de 2013.



Sobre a Divisão de Proteção de Cultivos da BASF 
Com vendas de mais de €5.2 bilhões em 2013, a Divisão de Proteção de Cultivos da BASF oferece soluções inovadoras em proteção de cultivos, tratamento de sementes e controle biológico, bem como soluções no gerenciamento de água, nutrientes e saúde da planta. Seu portfólio inclui também produtos para gramado e plantas ornamentais, controle de pragas e saúde pública. A Divisão de Proteção de Cultivos da BASF é uma líder inovadora que auxilia os agricultores a otimizar sua produção rural, melhorar a eficiência de seus negócios e aumentar a qualidade de vida da população mundial em constante crescimento. Mais informações podem ser obtidas no site www.agro.basf.com ou por meio de nossos canais das mídias sociais.