(***)  TEXTO PRODUZIDO PELO FORNECEDOR DO SISTEMA SUCROENERGÉTICO 
SEM A INGERÊNCIA DO JORNALISMO DA REVISTA OPINIÕES

A importância do planejamento de preservação de plantas paralisadas 

A paralisação de uma unidade industrial por longo período deve ser tratada como evento significativo com extensivo planejamento e controle de custos. O processo de corrosão em unidades paralisadas pode ser reduzido com a aplicação de políticas criteriosas de preservação. Esse artigo fornece uma orientação sobre os melhores métodos de preservação com os menores custos de execução. Há um grande numero de sistemas de revestimentos para prevenir corrosão, esses normalmente empregam graxas, óleos, ceras e plásticos que devem ser avaliados e revisados periodicamente. Sistemas de proteção são aplicados para prevenir corrosão ao menor custo e possibilitar a retomada de construção com a menor quantidade de problemas. 

A paralisação de uma unidade industrial por longo período deve ser tratada como evento significativo com extensivo planejamento e controle de custos. O processo de corrosão em unidades paralisadas pode ser reduzido com a aplicação de políticas criteriosas de preservação. Esta apresentação fornece uma orientação sobre os melhores métodos de preservação com os menores custos de execução.

A umidade contribui para diversas formas de corrosão, deterioração de equipamentos, destruição de contatos elétricos e estruturas de prédios. O controle do ponto de orvalho e drenagem podem reduzir o nível de umidade do ambiente, enquanto que o aquecimento é recomendado para proteger prédios e componentes elétricos. Em muitos casos os equipamentos elétricos têm suas próprias resistências elétricas que devem ser continuamente energizadas para prevenir danos. Atmosferas inertes (normalmente nitrogênio) podem ser usadas para minimizar a presença de umidade e oxigênio. A atmosfera deve ser seca e livre de contaminantes.

Há um grande número de sistemas de revestimentos para prevenir corrosão. Esses normalmente empregam graxas, óleos, ceras e plásticos que devem ser avaliados e revisados periodicamente. Sistemas de proteção são aplicados para prevenir corrosão ao menor custo e possibilitar a retomada de construção com a menor quantidade de problemas.

O programa de Hibernação/ Preservação deve conter no mínimo os seguintes itens principais, que necessitam ser bem planejados e executados:
- Inspeção completa da planta para estabelecer a condição atual;
- Seleção das preservações baseadas no tempo de “hibernação”: materiais, aplicações e reaplicações;
- Preparação do programa (procedimentos e especificações);
- Execução do programa de proteção;
- Verificação do sistema de preservação através da utilização de corpos de prova, inspeção visual de sistema preservados e medições das atmosferas inertizadas.

Quais equipamentos proteger

Equipamentos Instalados no Campo: Equipamentos de grande porte tais como torres, reatores, esferas e tanques são equipamentos relevantes devido aos custos de construção dos mesmos. A quantidade de preservação depende da complexidade e do valor item.

Trocadores de Calor: Podem ser inertizados internamente com a utilização de nitrogênio ou com a utilização de inibidores de corrosão.

Tubulação: Os trechos de tubulação em que a montagem foi concluída devem ser inertizadas com nitrogênio ou com inibidores de corrosão voláteis (VCI).

Caldeiras e periféricos: São de alto valor e possuem longa vida útil, caldeiras podem ser preservadas de forma seca ou molhada.

Equipamentos Mecânicos: Bombas, compressores, sopradores, ventiladores e seus sistemas de selagem e lubrificação associados devem ser protegidos com a aplicação de VCI ou inertizados. Cubículos, válvulas e rotores devem ser preservados com uso de VCI ou inertizados com Nitrogênio. Os mancais devem ser protegidos com solução de óleo e VCI.

Vasos de Pressão (reatores, filtros, etc...): Vasos de pressão representam grande parte de uma planta operacional, esses equipamentos normalmente são pintados externamente ou revestidos.

Equipamentos elétricos: Motores, disjuntores e relês são normalmente protegidos.  Os motores devem ter seus aquecedores ligados e os rotores girados mensalmente. Secadores ou inibidores de vapor são usados em painéis ou relês.

Fornos: As tubulações principais dos fornos devem ser inertizadas com N2 ou com aplicação de VCI.

Sistemas de Preservação

Pinturas e Vernizes: Pinturas e vernizes dependem da integridade da aplicação para evitar contato umidade e superfície a ser protegida.

Embrulhamento (Wrapping Materials): Fitas e papéis são utilizados para embrulhar item normalmente críticos por cobri-os completamente, e podem estar impregnadas com inibidores de corrosão.

Envelopamento (Cocooning): É utilizado em estruturas grandes e pode ser utilizado juntamente com pintura, secadores e inibidores de vapor através de uma barreira entre o material e umidade.

Óleo: Interior de vasos, trocadores de calor, tubulação, compressores e outros equipamentos fechados podem ser protegidos com uma camada de óleo leve com inibidor de corrosão.

Graxa: Inclui graxas de lubrificação e graxas projetadas para períodos longos de proteção. Contem inibidores de corrosão e podem ser usados para curtos e longos períodos.

Outro fator importante para a preservação é a alteração do ambiente, como desumidificação de equipamentos críticos nos quais se enquadram turbinas, e áreas contendo disjuntores elétricos, relês e painéis. Essa ação normalmente reduz significantemente a corrosão. Uso de Ar condicionado são próprios para controle de umidade. Aquecimento pode ser aplicado para evitar condensação e corrosão. Dessecantes são utilizados para absorver umidade, assim, prevenindo corrosão. Atmosferas Inertes são relativamente econômicas e eficazes para proteção interna de equipamentos e tubulação, porém esse método é efetivo apenas se os flanges e outros pontos de vazamentos estiverem bem vedados.

Programa de Preservação de Longo Prazo

Tubulação
Para materiais de aço carbono e baixa liga, ou aço inox austenítico, ou outras alta ligas: deve-se realizar sopragem e drenagem de todas linhas, e abrir válvulas e flanges nos pontos baixos para permitir drenagem.
Para o Isolamento Térmico, todo isolamento úmido deve ser removido para evitar a corrosão sob isolamento, e todos os pontos onde houver falhas no isolamento devem ser reparados.  Em todo caso, para preservações de longo período, recomenda-se a retirada do isolamento de modo a prevenir a corrosão sob isolamento.

Reatores e Trocadores de casco e tubo
Deve ser realizada lavagem interna no equipamento e após secagem com nitrogênio, purgar com nitrogênio e manter a pressão interna positiva ou aplicar VCI, deve ser aplicado graxa na face dos flanges antes do fechamento. Caso o isolamento térmico esteja úmido o mesmo deve ser removido, em preservações de longo período também deve ser considerado remover totalmente o isolamento.

Torres, Esferas e Cilindros
Dever realizada lavagem interna no equipamento e após secagem com nitrogênio, purgar com nitrogênio e manter a pressão interna positiva ou aplicar VCI. As faces dos flanges devem ser protegidas com graxa antes do fechamento do equipamento, os estojos e chumbadores devem ser protegidos com graxa ou VCI. As esferas podem ser preservadas somente com aplicação de ar aquecido.

Tanques de Armazenamento
Devem ser realizadas limpeza e secagem dos tanques, retoque o interior com primer se necessário, remover os agitadores quando aplicável e fechar os bocais do equipamento. As faces dos flanges devem ser protegidas com graxa antes do fechamento do equipamento, os estojos e chumbadores devem ser preservados com graxa ou VCI, em preservação de longos períodos pode ser prevista a aplicação de tinta de fundo em tanques não pintados internamente.

Bombas
Deve aplicado VCI nos internos da bomba ou inertizado com N2, aplicar solução de óleo e VCI nos mancais, deve ser realizado giro periódico do eixo da bomba. Todos os bocais devem ser preservados com graxa antes do fechamento, as partes usinadas e não pintadas devem ser preservadas com graxa ou VCI, os estojos e chumbadores devem ser preservados com graxa e VCI.

Compresores
Os compressores devem ser preservados com nitrogênio ou com VCI, todos os bocais devem ser fechados, antes dos fechamento dos bocais as faces dos flanges e as partes usinadas devem ser preservadas com graxa, o sistema de selagem do compressor e os redutores devem ser preservados com solução de óleo e VCI, os estojos e chumbadores de aço carbono devem ser preservados com graxa ou VCI.

Turbinas
Os internos devem ser protegidos com a aplicação de VCI, antes da aplicação recomenda-se realizar a secagem do sistema com ar quente ou nitrogênio. Todos os bocais do equipamento devem ser fechados e as faces de vedação protegidas com graxa, as partes usinadas e não pintadas devem ser protegidas com graxa ou VCI, os sistemas de lubrificação e selagem devem ser preservados com solução de óleo e VCI, os estojos e chumbadores de aço carbono devem ser preservados com graxa ou VCI.

Painéis Elétricos/Instrumentação
Deve ser realizada a preservação dos painéis com a aplicação de VCI, periodicamente deve ser realizada limpeza interna dos painéis montados em campo e aplicado limpa contato nos terminais elétricos, os painéis devem ser embalados com embalagem de VCI.

Analisadores
Os analisadores montados em campo devem ser retirados da área e armazenados em almoxarifado. Deve ser realizada a preservação dos analisadores com aplicação de VCI, os analisadores devem ser cobertos com embalagem de VCI durante o armazenamento.

Instrumentação
Deve ser realizada a limpeza dos instrumentos e aplicado anticorrosivo onde aplicável. Os instrumentos devem ser protegidos com plástico termo retrátil empregnado com VCI de modo a evitar o acúmulo de água.

Motores elétricos
Os motores elétricos que possuem resistência de aquecimento, as mesmas devem ser mantidas ligadas durante a preservação, os motores elétricos devem ser cobertos com plástico termo-encolhível com VCI.

Devemos frisar que a importância em um bom plano de preservação de plantas industriais paralisadas está principalmente na redução de gastos futuros, com trocas ou recuperações de equipamentos, prevenindo e controlando fatores que acarretam nos desgastes e deterioração dos equipamentos. A SGS tem seus planos de preservação ligados a todos esses fatores abordados, mas se preocupando também com a melhoria no processo do cliente e crescimento na produtividade, o que no caso da preservação de plantas industriais paralisadas, é importante visar que um bom plano traga a vantagem da redução de custos no processo.

O conteúdo esse artigo não esgota de forma alguma o assunto, e dispomos nossa equipe para maiores esclarecimentos e futuras consultorias.

--------------
Sobre Márcio de Souza Dias: é formado em engenharia mecânica pela Universidade Luterana do Brasil - ULBRA, possui MBA em Gestão de Projetos pela Universidade do Vale dos Sinos - UNISINOS. Possui experiência nas áreas de Controle de Qualidade atuando na área de equipamentos estáticos, mecânicos, rotativos e inspeção de tubulação, além disso, atuou por mais de 10 anos com Inspeção de Equipamentos / Tubulação, profissional especialista em projetos de preservação / hibernação das disicplinas de elétrica, instrumentação, automação, mecânica, tubulação e segurança. Atualmente é coordenador do contrato de preservação no COMPERJ em Itaboraí / RJ atuando como preposto junto a Petrobras.