Murilo Naves Ferreira e Luiz Augusto Resende Nascimento

Gerente Agrícola e Diretor de Operações Agroindustriais da Cerradinho Bioenergia, respectivamente

Op-AA-060

Manejo 3 dígitos
A busca constante do refinamento das práticas, promovendo ajustes em manejos consolidados, e a aplicação de novas tecnologias e equipamentos têm nos proporcionado uma produtividade média (TCH) de 3 dígitos, sustentada ao longo do tempo, e possibilitando uma maior longevidade do canavial, conforme podemos observar nos quadros em destaque. 

A busca constante do refinamento das práticas, promovendo ajustes em manejos consolidados, e a aplicação de novas tecnologias e equipamentos têm nos proporcionado uma produtividade média (TCH) de 3 dígitos, sustentada ao longo do tempo, e possibilitando uma maior longevidade do canavial, conforme podemos observar nos quadros em destaque. Nessa jornada, entendemos que não existe uma fórmula mágica que sirva para todos, pois cada área de produção requer um manejo específico a ser realizado, daí surge a necessidade de transformar em um processo contínuo de aprendizado pesquisa e desenvolvimento de novas técnicas e práticas no manejo, fertilização, irrigação, cultivo e colheita.
 
Dentre as práticas agronômicas já adotadas, iremos abordar algumas das quais nos trouxeram maior retorno econômico, entendendo esse resultado como um fator de equilíbrio entre produtividade e custo de produção. No preparo de solo, a subsolagem localizada definida via projeto de linhas formando o “canteirão” de 2,3 metros de largura resulta em melhor desenvolvimento do sistema radicular, o que proporciona uma cana mais forte e saudável. 
 
Além disso, possibilita também as linhas de tráfego para os equipamentos realizarem as operações com maior eficiência. Devido aos tipos de solo que abrangem a nossa região, é possível, ao longo do tempo, a eliminação de terraços em algumas áreas de produção, gerando maior aproveitamento das terras e maior rendimento operacional devido à redução de manobras e maior proporção de linhas retas e longas. Tudo isso com muita responsabilidade e olhando o manejo como um todo, associando relevo e topografia, práticas de cobertura do solo e época ideal de plantio em cada local.
 
O uso adequado do pacote tecnológico embutido nas plantadoras proporciona aplicações de maior eficiência e reduz as perdas de insumos no plantio mecanizado. Controle de todo equipamento associado a plantios de áreas planejadas previamente, otimização da mão de obra e eliminação de possíveis falhas que ocorrem durante o processo de plantio mecanizado. Viveiros de mudas livre de pragas, doenças e deficiências nutricionais aumentam o vigor da cana-planta e a sua produtividade na colheita. A fase de implantação tem aspectos essenciais em todo o ciclo do canavial, que possibilitam a busca pela longevidade.
 
Expansões em áreas de pastagens degradadas é uma realidade bastante presente no nosso contexto, sendo necessário um desenvolvimento de manejo específico que proporcione produtividade e seja sustentável. Um ponto de atenção encontrado nessas áreas é a baixa fertilidade dos solos, o que exige um bom controle de aplicações de corretivos em taxas variáveis, rotação de culturas com gramíneas e leguminosas, aplicação de fertilizantes organominerais e a compostagem produzida com resíduos do nosso próprio processo produtivo. A grande diferença ocorre quando começamos a olhar o perfil do solo em maiores profundidades e respeitamos o tempo ideal de construção de fertilidade, tanto pelo aspecto químico, como pela parte física e microbiológica do ambiente. 
 
Temperaturas e o alto índice pluviométrico são fatores primordiais para o desenvolvimento rápido do canavial e mais rápido ainda para pragas, doenças e plantas daninhas que causam grandes prejuízos para a produtividade do canavial. O monitoramento constante e preciso desses problemas proporciona maior assertividade nas tomadas de decisões e ações a serem realizadas, minimizando o impacto na produção de cana. Programas de combate ao mato e controle de pragas são importantes para buscar mais informações e conscientizar todos sobre os prejuízos que as plantas daninhas trazem para o rendimento do canavial e também para o rendimento operacional, principalmente durante o processo de colheita mecanizada. 
 
O desenvolvimento de uma cultura preventiva se torna fundamental em todos os processos, para conviver minimamente com pragas, doenças e plantas daninhas. O monitoramento online do processo de colheita, transbordo e transporte proporciona maior controle e assertividade nas tomadas de decisões, trazendo ganhos em rendimento e redução de custos em tempo real. 
 
Com a implantação desse sistema, investimento em capacitação da equipe e sistematização de talhões, foi possível otimizar o uso dos equipamentos, permitindo inclusive a redução do número total de equipamentos necessários para essas operações. Por fim e não menos importante, é preciso desenvolver uma cultura na organização que seja aberta à inovação e promova a melhoria contínua, que permita estar atentos às novas tecnologias emergentes como Big Data, internet das coisas, machine learning, processamento de imagens, robotização de processos, dentre outros, e que estimule, ao mesmo tempo, a adaptação e a renovação dos seus processos de gestão. 
 
Somente assim será uma organização que tem como propósito a superação e a expansão dos seus próprios limites.Nessa jornada, entendemos que não existe uma fórmula mágica que sirva para todos, pois cada área de produção requer um manejo específico a ser realizado, daí surge a necessidade de transformar em um processo contínuo de aprendizado pesquisa e desenvolvimento de novas técnicas e práticas no manejo, fertilização, irrigação, cultivo e colheita.
 
Dentre as práticas agronômicas já adotadas, iremos abordar algumas das quais nos trouxeram maior retorno econômico, entendendo esse resultado como um fator de equilíbrio entre produtividade e custo de produção. No preparo de solo, a subsolagem localizada definida via projeto de linhas formando o “canteirão” de 2,3 metros de largura resulta em melhor desenvolvimento do sistema radicular, o que proporciona uma cana mais forte e saudável. 
 
Além disso, possibilita também as linhas de tráfego para os equipamentos realizarem as operações com maior eficiência. Devido aos tipos de solo que abrangem a nossa região, é possível, ao longo do tempo, a eliminação de terraços em algumas áreas de produção, gerando maior aproveitamento das terras e maior rendimento operacional devido à redução de manobras e maior proporção de linhas retas e longas. Tudo isso com muita responsabilidade e olhando o manejo como um todo, associando relevo e topografia, práticas de cobertura do solo e época ideal de plantio em cada local.
 
O uso adequado do pacote tecnológico embutido nas plantadoras proporciona aplicações de maior eficiência e reduz as perdas de insumos no plantio mecanizado. Controle de todo equipamento associado a plantios de áreas planejadas previamente, otimização da mão de obra e eliminação de possíveis falhas que ocorrem durante o processo de plantio mecanizado. Viveiros de mudas livre de pragas, doenças e deficiências nutricionais aumentam o vigor da cana-planta e a sua produtividade na colheita. A fase de implantação tem aspectos essenciais em todo o ciclo do canavial, que possibilitam a busca pela longevidade.
 
Expansões em áreas de pastagens degradadas é uma realidade bastante presente no nosso contexto, sendo necessário um desenvolvimento de manejo específico que proporcione produtividade e seja sustentável. Um ponto de atenção encontrado nessas áreas é a baixa fertilidade dos solos, o que exige um bom controle de aplicações de corretivos em taxas variáveis, rotação de culturas com gramíneas e leguminosas, aplicação de fertilizantes organominerais e a compostagem produzida com resíduos do nosso próprio processo produtivo. A grande diferença ocorre quando começamos a olhar o perfil do solo em maiores profundidades e respeitamos o tempo ideal de construção de fertilidade, tanto pelo aspecto químico, como pela parte física e microbiológica do ambiente. 
 
Temperaturas e o alto índice pluviométrico são fatores primordiais para o desenvolvimento rápido do canavial e mais rápido ainda para pragas, doenças e plantas daninhas que causam grandes prejuízos para a produtividade do canavial. O monitoramento constante e preciso desses problemas proporciona maior assertividade nas tomadas de decisões e ações a serem realizadas, minimizando o impacto na produção de cana. Programas de combate ao mato e controle de pragas são importantes para buscar mais informações e conscientizar todos sobre os prejuízos que as plantas daninhas trazem para o rendimento do canavial e também para o rendimento operacional, principalmente durante o processo de colheita mecanizada. 
 
O desenvolvimento de uma cultura preventiva se torna fundamental em todos os processos, para conviver minimamente com pragas, doenças e plantas daninhas. O monitoramento online do processo de colheita, transbordo e transporte proporciona maior controle e assertividade nas tomadas de decisões, trazendo ganhos em rendimento e redução de custos em tempo real. 
 
Com a implantação desse sistema, investimento em capacitação da equipe e sistematização de talhões, foi possível otimizar o uso dos equipamentos, permitindo inclusive a redução do número total de equipamentos necessários para essas operações. Por fim e não menos importante, é preciso desenvolver uma cultura na organização que seja aberta à inovação e promova a melhoria contínua, que permita estar atentos às novas tecnologias emergentes como Big Data, internet das coisas, machine learning, processamento de imagens, robotização de processos, dentre outros, e que estimule, ao mesmo tempo, a adaptação e a renovação dos seus processos de gestão. 
 
Somente assim será uma organização que tem como propósito a superação e a expansão dos seus próprios limites.